XX ANTOLOGIA DA ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE PARANAPUÃ - Org. Eliane Mariath - poesia/prosa (48 páginas)


Lançamento dia 8 de março de 2010, a partir das 16h, no auditório da FALARJ, na ALAP, na Rua Teixeira de Freitas, 5, 3º andar, Lapa, Rio/RJ


“UM POUCO DA NOSSA HISTÓRIA”


A Academia de Letras e Artes de Paranapuã – ALAP foi fundada em 21 de outubro de 1989, pelo acadêmico Albene Fagundes de Araújo, junto com outros 22 acadêmicos, em solenidade realizada no Salão Vermelho da Academia Brasileira de Letras – ABL, com o objetivo de cultivar e divulgar as inúmeras formas de arte.
Na sua formação teve o incentivo e apoio do Presidente da Academia Brasileira de Letras - ABL, jornalista e escritor Austregésilo de Athayde e, também, do Presidente da Academia de Letras do Estado do Rio de Janeiro – ACLERJ, professor e escritor Modesto de Abreu, que ocuparam a presidência e a vice-presidência de Honra da ALAP até falecerem.
Com um quadro acadêmico formado, agora, de 200 cadeiras assim distribuídas: 40 Letras e 40 Artes de Membros Fundadores e Efetivos, 40 Letras e 40 Artes de Membros Correspondentes e 40 de Membros Beneméritos e/ou Honorários. A Academia recebeu o nome de Paranapuã por ter sido este o primeiro nome dado a Ilha do Governador pelos seus habitantes indígenas, maneira esta de homenagear o local onde floresceu a idéia e onde moravam os acadêmicos insulanos fundadores, que na época, eram maioria.
Nestes 20 anos, a ALAP procurou firmar seu compromisso de trabalhar em prol da cultura, não só no Rio de Janeiro, mas em todo território nacional e, em até algumas aventuras internacionais, com nossos acadêmicos artistas plásticos levando a Bandeira ALAPeana além mares, como: USA, Itália, França, Portugal, Espanha e África do Sul, além dos nossos países vizinhos: Argentina, Paraguai e Uruguai. Mas não só as artes plásticas ultrapassaram fronteiras, arte de escrever também viajou por estes países, levando nossos acadêmicos escritores e poetas a verem suas escritas publicadas em vários outros idiomas.
Em 2003, a ALAP foi convidada pela Casa-Museu Maria da Fontinha, em Castro Daire/Portugal, através do seu Diretor-Presidente, acadêmico Armênio de Vasconcelos, para realizar o “I Intercâmbio Cultural Brasil Portugal” levando 25 pessoas, entre acadêmicos e convidados, para terras lusas. Homenageamos e fomos homenageados. Recebemos calorosa recepção na Embaixada Brasileira, em Lisboa, realizamos solenidades em Alvarenga, Castro Daire, Leiria (2) e Viana do Castelo, além do apoio recebido da mídia portuguesa (jornais e rádios) que noticiaram a nossa trajetória. Encantados com a maneira carinhosa com que fomos recebidos percorremos diversas cidades e fizemos inúmeros amigos.
Em 2005, através desta parceria, alçamos vôos maiores com o “II Intercâmbio”
onde, em Portugal, fomos recebidos e homenageados pela Câmara de Figueiró do Vinho onde, também, criamos uma Pinacoteca. Percorremos cidades da Espanha, como: Santiago de Compostela, Salamanca e Madri.
No “III Intercâmbio”, em 2007, voltamos a percorrer Portugal e fomos recebidos e homenageados pelas Câmaras de Alcanena, onde fundamos outra Pinacoteca, e Faro. Na Espanha, conhecemos Sevilha e retornamos a Salamanca e Santiago de Compostela.
No dia 08 de agosto de 2009, junto com o agora Museu Maria da Fontinha, que completou nesta data 25 anos, fundamos a Academia de Letras e Artes Lusófonas – ACLAL, durante a realização do “IV Intercâmbio”. Visitamos vários lugares em Portugal, fomos homenageados em Castro Daire e Vila Nova de Paiva e pegamos a estrada, rumo a França, onde visitamos o Santuário de Lourdes. Na volta, passamos por Burgos e Salamanca, na Espanha.
Em todos os Intercâmbios outorgamos nossa Medalha de Mérito Cultural “Acadêmico Austregésilo de Athayde” e Diplomas de Honra ao Mérito da ALAP a autoridades, personalidades e entidades sócio-culturais portuguesas e espanholas.
Criamos, em 2002, a nossa Revista Informativa e Cultural, que se tornou a menina dos olhos ALAPeanos e que, a cada ano, nos deixa mais orgulhosos.
O Sodalício teve três presidentes: acadêmico Albene Fagundes de Araújo, Presidente Idealizador e Fundador (1989/1993), acadêmico Florrestan Japiassú Maia, Vice-Presidente Fundador (1993/1995) e a acadêmica Eliane Mariath Dantas, Membro Fundadora (1995 até os dias de hoje).
Promovendo sempre encontros, concursos, antologias, palestras, salões de artes plásticas, saraus, gincanas, intercâmbios nacionais ou apoiando eventos culturais de co-irmãs, além de nossas três maiores solenidades: em maio, posse de novos acadêmicos e outorga da Medalha de Mérito Cultural “Acadêmico Austregésilo de Athayde”; em outubro: posse de novos acadêmicos e outorga do Prêmio “ALAP Cultura” e em dezembro nossa Festa de Confraternização, a Academia mantém assim seu objetivo maior de engrandecer cada vez mais todas as formas de Letras e Artes Lusófonas.

ELIANE MARIATH - Presidente da ALAP

Mais informações: oficinaeditores@oficinaeditores.com.br