COXAS DE CETIM - poesia (76 páginas)

2ª edição, comemorativa aos 10 anos de sua publicação: capa e ilustrações de Mozart Carvalho

Relançamento na XV Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro

Lançamento dia 26 de julho de 2010, a partir das19h, na Casa de Cultura Laura Alvim, Av. Vieira Souto, Ipanema, Rio/RJ.

Um pouco de jazz com muito prazer
(Shirley Horn apenas canta)


shirley horn na janela
ela e majestoso vulcano
soberano de relâmpagos
faíscas-flashes
feixes de neon em coito-circuito
enquanto entre frestas
a festa das silhuetas celebra
magneticamente
com pianos trovões
bolsões de intermináveis águas
shirley horn na cama
ama o vulcão erecto
erupção do desejo
amplexos-reflexos
ventres que vêm e vão
enquanto entre fendas
as oferendas refletem-se nas nuvens
a natureza celebra
jazziscamente
com saxi sexi
sexos em sincopada harmonia
é verdade
na janela do meu quarto
a natureza celebra
invejosamente
a minha cama...
ao meu ouvido...
shirley horn apenas... canta...

 

Sérgio Gerônimo

 

Coxas de Cetim, de Sérgio Gerônimo (ilustrações de Mozart Carvalho). Trata-se de um volume de poemas eróticos, escritos com entusiasmo (lógico!). Sendo um livro de lírica erótica, natural que o tema se repita em todas as peças, e o primeiro sinal de maturidade do poeta está justamente em evitar a repetição desnecessária do enfoque: Sérgio Gerônimo não se repete, muito embora a todo instante surjam vocábulos relativos às partes do corpo feminino, mesmo sob forma alegórica, e não é raro o poeta aproximar palavras parônimas ou parófonas para maior vantagem poética. Outra prova de madureza: não cair no pornográfico, nos termos que, de maneira chula, nomeiam as partes íntimas da mulher. Sua poesia erótica se alimenta não só do tesão vocabular, mas acima de tudo do respeito a certos limites de bom gosto. Vale a pena conferir.

Fernando Py, poeta, crítico literário.

Mais informações pelo e-mail: oficinaeditores@oficinaeditores.com.br