O TEATRO DESAGRADÁVEL DE NELSON RODRIGUES - teatro (ensaio) - 236 pág.


Anderson Brandão

Nasceu em Recife (PE), mas foi criado na cidade do Rio de Janeiro. Passou os anos 70 entre os bairros da Cidade de Deus e da Glória. Entre a pobreza e a classe média baixa, cedo tomou consciência dos processos de instauração de poderes ligados à linguagem. A guerra na favela de Jacarepaguá e os submundos da Lapa e arredores lhe ensinaram a perceber que entre a prática imediata da vida e os construtos ideológicos havia um vácuo de onde brotavam discursos que compunham heróis, bandidos, trabalhadores, funcionários públicos, prostitutas e traficantes numa eterna dialética entre dominadores e dominados. Durante os estertores da Ditadura Militar e o nascimento da Democracia vigiada realizou seus estudos primários e secundários. Formou-se em Letras na UFRJ, onde realizou seu mestrado e doutorado em Literatura Comparada. Lá, descobriu a literatura maldita, os processos ligados à docilização dos corpos, a teoria marxista e principalmente o prazer de pensar a Literatura e seus processos de espelhamento nos textos e no mundo. A paixão pela obra de Nelson Rodrigues nasceu ainda em sua infância, quando, escondido dos seus pais, assistia secretamente à sua filmografia pela televisão, tarde da noite, no quase silêncio da sala.
É professor de Literatura na Uniabeu e coordenador da área de estudos literários na Faetec/Mauá. Atualmente coordena a pesquisa A Estética Realista e a Representação Histórica e Social dos Desfavorecidos: embates ideológicos nos séculos XIX, XX e XXI financiada pela Uniabeu e cumpre o seu estágio de pós-doutoramento com a pesquisa O Estatuto Histórico do Texto Literário pela UFRJ.

 

Sobre o livro:

Nelson Rodrigues é um autor desagradável. Sua obra nos deixa um entrave na garganta, um gosto amargo de realidade, um retrato da dramaticidade do cotidiano, a crueza do humano. No entanto nenhum autor pode ser afastado de seu tempo, nem reina solitário Nelson Rodrigues no rol dos malditos. A obra O teatro desagradável de Nelson Rodrigues tem o mérito de mergulhar na relação entre literatura e cultura, entre um autor e seu tempo buscando contextualizar o desagradável de Nelson Rodrigues e também entendê-lo entre outros autores malditos da literatura mundial. Assim, Anderson Brandão começa sua obra  analisando a historicidade do texto literário para, em seguida, encontrar personagens rodrigueanos a dialogar com aspectos da obra de Emily Brontë, Charles Baudelaire, Marquês de Sade e Franz Kafka.   
O teatro desagradável de Nelson Rodrigues é um estudo de literatura comparada e um mergulho nas linhas de poder que Nelson Rodrigues evidencia. Nesta obra percebemos que o desagradável e o maldito na literatura de Nelson Rodrigues é o retrato de um tempo presente, de uma sociedade, de relações de poder que estão em nós.

Ana Luísa Saramago

 

Mais informações pelo e-mail: oficinaeditores@oficinaeditores.com.br